Por geólogos, com geólogos, para geólogos

Os fenoclastos do projeto

Geólogas da mesma fornada da FCUL, além do apelido (que não partilham por coincidência, mas apenas pela falta de sorte no sorteio de baixa diversidade da onomástica portuguesa), partilharam também um ano de vida académica na Universidad Complutense de Madrid, onde eram conhecidas como 'las gemelas Pereira'. Ficou a amizade.

Inês Pereira

Começou por cá, na FCUL e na UE, mas foi doutorar-se no Reino Unido. Atualmente é investigadora pós-doc na Université Clermont Auvergne em França, onde tenta descobrir quando, como, porquê e a que horas começou a Tectónica de Placas como hoje a conhecemos.

Em 2020, achou que estava com demasiado tempo livre e teve a ideia.


Sofia Pereira

Começou e ficou por cá, na FCUL, onde se doutorou. Atualmente é investigadora no Centro de Geociências da Universidade de Coimbra. Especializou-se em Estratigrafia e Paleontologia, estuda trilobites e o Paleozoico de Portugal e tem a certeza que no Ordovícico 'é que era bom'!

Mais acostumada a fotografar fósseis e afloramentos, abriu uma exceção para este projeto.


A APG

Fundada em 1976, a APG - Associação Portuguesa de Geólogos - é uma associação sócio-profissional que almeja representar a profissão de geólogo junto das entidades públicas e privadas, promovendo a profissão nos mais variados palcos e estando incansavelmente presente na formação de professores do ensino básico e secundário. Nesse sentido, é uma das entidades que congrega mais profissionais de Geologia, dispondo de um "geofacelog" mais alargado. Fez assim sentido ser a APG a acolher esta iniciativa. Fiquem a conhecer os primeiros 12 rostos de colegas e mentores que, além de representarem a Geologia, também se batem pela profissão e pela Ciência, alimentando um espírito de associativismo. Só consolidados temos força e é através de uma maior coesão que poderemos elevar a nossa profissão junto das entidades competentes. Serve este calendário também para nos aproximarmos uns dos outros.

Agradecimentos

Ao Carlos Marques da Silva, André Cravinho Santos e José Ferreira, pela revisão de textos, sugestões e apoio gráfico; à Sabril/WhiteMinerals/Corbário S.A., à Tech Salt (Mina de salgema de Loulé), à Mármores e Estores Vidal & Vidal, Lda. e ao Centro Interpretativo Aldeia da Faia, por facilitarem o acesso às suas instalações.